Categorias: De Psi para Psi, Teoria Psicanalítica

Diferenças entre o Psicólogo, Psiquiatra e Psicanalista

Essa é uma pergunta muito comum e que gera diversas confusões. Mas quando decidimos procurar um profissional, é importante saber as possibilidades e limites de cada uma dessas áreas de saber. Dessa forma, conseguimos entender melhor onde podemos encontrar a ajuda que precisamos – será com um psicólogo, um psiquiatra ou um psicanalista?

A psiquiatria é uma especialidade da medicina direcionada ao diagnóstico, tratamento e reabilitação de transtornos mentais. Para isso, são usadas diferentes técnicas tais como anamnese e exames médicos, e tem como principais terapêuticas psicofarmacologia e psicoterapia. Um dos seus pioneiros foi o médico Philippe Pinel, que no século XVIII introduziu formas humanitárias de cuidado com doentes mentais. 

Atualmente, quando se procura um psiquiatra, saiba que você estará se consultando com um médico de formação que poderá ou não prescrever-lhe medicamentos, tais como antidepressivos, estabilizadores de humor, antipsicóticos, entre outros. É recomendável que a terapêutica medicamentosa seja aliada à psicoterapia ou análise. 

A psicologia nasceu na intersecção de diversas áreas do saber, tais como filosofia e sociologia, e se define como área de estudo científico do comportamento e dos processos mentais. Wilhelm Wundt foi o precursor da psicologia no século XIX, fundando o primeiro laboratório de psicologia do mundo e sendo o primeiro a se intitular como “psicólogo”.

Hoje em dia, um psicólogo é aquele que fez graduação de psicologia e se formou com uma combinação de estudos e atendimento clínico. Sua terapêutica se dá a partir de uma escolha do profissional por uma linha teórica, dentre as várias existentes, como psicologia comportamental, fenomenologia, psicanálise etc. O psicólogo pode atuar em diferentes ambientes e contextos, e usar diferentes técnicas, como avaliação psicológica, psicoterapia, aplicação de testes psicológicos, etc.  

Por sua vez, a psicanálise – apesar de hoje tão próxima da psicologia, principalmente em termos de formação acadêmica – teve uma trajetória à parte. Seu fundador, Sigmund Freud, era um médico neurologista (outra especialidade da medicina), que produziu um novo campo do saber baseado na ideia de que ser humano é determinado por seu inconsciente. A partir de suas contribuições, outros autores se interessaram pela psicanálise e contribuíram para a construção dessa terapêutica, e consequentemente, para uma “cura pela palavra”.

Atualmente, a psicanálise é amplamente estudada nos cursos de psicologia, e um psicólogo pode escolhê-la como abordagem teórica de sua prática, como é meu caso. Além disso, é possível formar-se como psicanalista através de um curso de formação em psicanálise, ministrado por algumas instituições no Brasil.

Deixe seu comentário